Como funciona o pagamento do seguro de vida?

Como funciona o pagamento do seguro de vida?

Uma das principais vantagens de investir em um seguro de vida é poder contar com a tranquilidade financeira que ele oferece para você e sua família nas situações mais delicadas como em casos de doenças, invalidez ou morte.

Mas, e se o pior acontecer, como vai funcionar o pagamento do seguro de vida? Como é feita a indenização? A seguradora pode negar o ressarcimento? Preparamos este artigo com o objetivo de responder a essas perguntas. Confira e entenda como é possível solicitar a assistência, quem pode receber e outras informações. Aproveite a leitura!

Os beneficiários

Ao contratar o seguro de vida, o segurado escolhe quem serão seus beneficiários e define em contrato. Assim, em caso de morte essas pessoas receberão a indenização que foi contratada na apólice. Porém, a pessoa também pode optar por não indicar nenhum dependente.

Caso isso aconteça, a empresa deverá seguir as orientações do Código Civil que diz que o valor deverá ser dividido entre cônjuges e herdeiros legítimos, sendo 50% para cada. Vale ressaltar que o próprio contratante poderá ser o beneficiário do serviço e solicitar a indenização nos seguintes casos:

  • invalidez permanente (total ou parcial);
  • invalidez funcional por doença;
  • despesas médicas, hospitalares e odontológicas;
  • receber diárias por incapacidade temporária (DIT);
  • diárias de internação hospitalar e
  • em casos de doenças graves.


Porém, a indenização em casos de morte é a única obrigatória em um
seguro de vida. Os demais pagamentos serão recebidos se forem contratados à parte durante a vigência da apólice. Por isso, todas as condições do contrato devem ser observadas com atenção.

Como funciona o pagamento do seguro de vida bhminas corretora

Os prazos para pagamento

Ao contrário do inventário, que tem um processo bem mais burocrático e pode levar muitos anos até o recebimento, o seguro de vida é recebido rapidamente. A Susep (Superintendência de Seguros Privados) estabelece que as seguradoras têm até 30 dias, depois da entrega de toda a documentação, para realizar o pagamento aos segurados. 

Porém, o prazo pode se estender se algum documento estiver pendente. Se houver o atraso, o valor da indenização deverá ser atualizado. Outra informação importante é que os beneficiários têm até três anos, a contar da data de falecimento, para solicitar a indenização pela morte do segurado.

Já no caso de recebimento pelo próprio contratante, o prazo é de um ano, mas a data de início da contagem varia de uma apólice para outra e das condições de cada seguradora. Quando há doenças graves, em muitos casos, é válida a data a partir do dia do diagnóstico. 

No entanto, em situações de invalidez, geralmente, a contagem começa a partir da formalização pela Previdência Social. Vale destacar que a forma de recebimento do benefício, se mensal ou parcela única, também depende do que foi estabelecido em contrato com a seguradora.

Quando a cobertura é negada pela corretora

Se você chegou até aqui, percebeu que existem várias condições que são muito particulares de contrato para contrato, certo? Mas talvez ainda não saiba que existe a possibilidade de a segurada se negar a realizar o pagamento tanto aos beneficiários quanto ao próprio segurado.

Isso acontece em casos em que o sinistro ocorreu ainda na fase de carência; quando há atrasos de parcelas; quando o risco não é coberto; quando há doenças pré-existentes e que foram omitidas pelo contratante, quando a seguradora entender que houve violação das condições acordadas na apólice, entre outras situações. 

Por isso, é essencial estar ciente das cláusulas contratuais para não haver surpresas na hora em que for solicitar o pagamento do seguro de vida. Lembre: na dúvida, não fique em dúvida e procure o seu corretor! 

Você conhece alguém que também precisa conhecer as condições para acionar a indenização do seguro? Aproveite e já compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Este artigo foi útil? Avalie-nos : )

(31) 3658-7440